Cirurgias Bariátricas

  • Tipo de mecanismo das cirurgias bariátricas

    1. Totalmente Restritivos:

    São técnicas que limitam o volume de alimento sólido ingerido pelos pacientes. Esta técnica depende da colaboração do paciente no pós-operatório, pois alimentos líquidos podem continuar a ser ingeridos quase no mesmo volume que eram antes da cirurgia e se forem muito calóricos irão atrapalhar a perda de peso.

    Mason

    Consiste em “grampear” o estômago criando um pequeno tubo que recebe o alimento. O paciente tem a sensação de plenitude gástrica, pois esta antecâmara gástrica esvazia-se lentamente. O inconveniente é que se o paciente ingerir líquidos ao invés de sólidos, poderá tomá-los em grande quantidade e se forem hipercalóricos, a perda de peso não será alcançada.

    Video: Cirurgia bariátrica Mason


    Sleeve

    Consiste em uma técnica que transforma o estômago em um tubo controlando o apetite do paciente. Essa cirurgia é realizada por videolaparoscopia mantendo um bom resultado estético. A internação hospitalar é de um dia.

    Video: Cirurgia bariátrica Sleeve


    Banda gástrica ajustável

    Este é um procedimento cirúrgico restritivo puro, no qual uma banda é colocada em volta da parte superior do estômago. Essa banda divide o estômago em duas partes, uma pequena e outra maior. A maioria dos pacientes se sente “cheio” mais rapidamente, pois a banda restringe a entrada do alimento. A digestão de alimento ocorre através do processo digestivo normal.

    Video: Banda gástrica ajustável

    2. Mistos e Predominantemente restritivos:

    Ocasionam desvios gástricos como o Bypass Gástrico com e sem anel.
    Bypass gástrico

    O “Bypass Gástrico” é a “Cirurgia Bariatrica” mais freqüentemente realizada no mundo. Essa cirurgia também é conhecida como “Cirurgia de Fobi e Capella” ou “Septação Gástrica”.

    Ao invez do corte, é realizado 5 ou 6 pequenas incisões com tamanho entre 5 e 13 mm. O tempo de internação hospitalar médio é de 3 dias.

    Video: Cirurgia bariátrica Bypass gástrico


    3. Mistos e Predominantemente disabsortivos:

    São derivações bileopancreáticas (Duodenal Switch, Scopinaro).

    Scopinaro

    Realizada por vídeo laparoscopia ou por via convencional na qual se realiza uma gastrectomia (retirada do estômago) parcial ou um grampeamento com secção simples do estômago , reduzindo sua capacidade em cerca de 50%, em seguida, o intestino delgado é seccionado à 2,5 metros de onde ele termina no íleo e é feito um desvio (Bypass) do intestino a cerca de cerca de 80cm do ceco, por fim, a gastroplastia é ligada ao intestino distal desviado (gastroentero anastomose) com o íleo, para que a comida possa passar novamente.

    Duodenal switch

    É realizada uma ressecção longitudinal do estômago1, preservando a sua anatomia e fisiologia básicas. Uma pequena porção do duodeno (primeira porção do intestino delgado11) também é preservada, contribuindo para melhor absorção de nutrientes como proteínas12, cálcio, ferro e vitamina13 B12. O que não acontece nas outras cirurgias para perda de peso. Vem sendo considerada uma evolução das cirurgias bariátricas. O alimento segue por um caminho, enquanto os sucos digestivos (bile14 e suco pancreático) seguem por outro. Encontrando-se apenas a 100cm de acabar o intestino delgado11. Isto inibe a absorção de calorias e nutrientes levando ao emagrecimento. Esta perda de peso é consistente e duradoura. Estudos recentes comprovam que a qualidade de vida dos pacientes submetidos a este tipo de procedimento é mais satisfatória a longo prazo.

    4. Totalmente disabsortivo:

    Com elas, o paciente tem mais liberdade de comer maior quantidade de alimentos, já que não há grande diminuição do estômago1. É feito um grande desvio do alimento, que vai para o intestino grosso7. Há necessidade de controle mais rigoroso dos distúrbios nutricionais que essas técnicas podem causar.

    Bypass Jejuno-Ileal

    Esta técnica faz um “desvio” no intestino, diminuindo drasticamente a superfície do intestino que entrará em contato com o alimento.

    Fonte: http://www.gastroplastiabrasil.com.br/tipos_de_cirurgia_bariatrica.html

    Técnicas Cirúrgicas

    MÉTODOS SEM CIRURGIA:

    Balão Intragástrico – 1980
    Marcapasso Gástrico – 2000

    MÉTODOS COM CIRURGIA:
    A – Cirurgias disabsortivas (as que não obsorvem nada no intestino delgado).

    Cirurgia de Payne Dewind 1968 (J.H. Payne e L.T. Dewind) 1950 a 1970
    Cirurgia de Scott (H.W. Scott Jr.) – 1950 a 1970

    B – Cirurgia somente restritivas (que restringem e limitam a entrada do alimento no estômago ou no intestino delgado).

    Banda Gástrica – 1990
    Cirurgia de Maison (M.E. Mason) – 1980
    Bypass Intestinal Reversível Restritiva Modificada Lazzarotto & Souza – 1980

    C – Cirurgias com técnicas mistas (as que limitam a entrada do alimento em alguma parte do estômago ou intestino e também não absorvem nada em alguma parte do intestino delgado).

    Técnica de Scopinaro (Nicola Scopinaro) derivação Biliopancreática – 1980
    Técnica de Marceau-Hess – 1998 Duodenal Switch (Derivação Bilio-Pancreática – Sleeve Gastrectomy)
    Cirurgia de Aureo Ludovico – 2000 (Interposição Ileal)
    Cirurgia Modificada de Aureo Ludovico – 2000 (Interposição Ileal Modificada)
    Cirurgia de Domene – 2000

    As cirurgias mistas podem ser:
    a) Mais disabsortivas e menos restritivas
    b) Menos restritivas e mais disabsortivas

    Cirurgia de Fobi-Capella – 1980
    Técnica de Alan Wittgrove & Wealey Clary – San Diego 1993
    Técnica de Dr. Fobi (Dr. Mathias A. Fobi) – 1980
    Técnica de Rafael Capella – 1980

    D – Cirurgias mistas ampliadas (as que além de restringir o alimento e não absorvê-lo em alguma parte do intestino delgado ainda ressecam outras partes dentro do abdômen) Estas são mais agressivas e mutilantes.

    Técnica de Sérgio Santoro – 2000


Sobre o Autor

Gordinhos Operados

Comentários

* Nome, Email, e Comentário é Necessário